• Destaques
  • Indústria
  • Notícias
  • Saúde
  • Tecnologia
  • Varejo

Você já se colocou no lugar do seu candidato?

Matheus Lambertucci Cardoso
  • 29 de março de 2019
  • 5 min de leitura

Já dizia aquele ditado popular “A primeira impressão é a que fica”.

Como parte de um RH, você já parou para refletir qual a impressão que sua empresa está causando?

Existe uma cultura muito forte de encantamento dos novos colaboradores nas empresas. O RH se empenha em recepcioná-los com almoços, palestras motivacionais e kits de boas vindas.

Essa preocupação em receber os novos integrantes da melhor forma possível é essencial! Mas você já considerou a possibilidade de encantar seus colaboradores antes mesmo deles começarem a trabalhar? Durante a contratação?

São muitas perguntas a serem respondidas. Muitas coisas a se pensar!

E, muitas vezes por estar consumidos pelas atividades do dia a dia, o RH não consegue se atentar a todas essas questões. E por isso, acaba desenvolvendo algumas ações sem considerar as necessidades do candidato. E mais, não adota nenhuma medida que o ajude nas suas principais dificuldades.

Você sabe as dificuldades que um candidato encontra durante a contratação?

Certamente você sabe dos desafios encontrados pelo RH para que um processo admissional aconteça de acordo com o esperado. Sabe também, que muitas vezes, mesmo que você e seus colegas de trabalho se esforcem para realizar todas as atividades, a contratação pode não acontecer dentro do prazo necessário.

Isso acontece porque um processo de admissão depende de dois fatores: O time de Recursos Humanos e o candidato.

E o desempenho do seu candidato depende de uma série de fatores!

Primeiro emprego

Você deve se lembrar como foi o seu primeiro emprego. Aquela ansiedade para começar a trabalhar, somada ao medo do desconhecido. E além disso tudo uma série de exigências e documentações. Você se lembra de toda a burocracia envolvida?

Se a sua empresa é o primeiro emprego do seu candidato, é esperado que ele tenha muitas dúvidas!

É possível que ele ainda nem tenha carteira de trabalho e que nunca tenha ouvido falar sobre o PIS.

Ele te perguntará inúmeras vezes sobre instruções que para você são óbvias, mas que para ele, são motivo de preocupação.

Você sabe onde está o seu título eleitoral?

Se você é uma daquelas pessoas que tem uma pasta com todos os seus documentos, organizados por ordem cronológica, é possível que você fique indignado quando seu candidato chega dizendo “Ah, mas eu não tenho meu certificado de reservista.”

Mas você, enquanto profissional de RH, precisa ter em mente que essa situação é mais comum do que você imagina! E o fato de o candidato não ter algum documento, nem sempre significa falta de organização.

Além dos certificados de reservista e título eleitoral, pode ser que seu candidato também não tenha um cartão do SUS. E que ele não possua, ou não saiba qual o seu número do PIS.

Assim como na situação de primeiro emprego, seu papel enquanto RH é auxiliar e orientar, como o candidato deve proceder em cada situação.

Como comprovar o estado civil ? 

O candidato durante a contratação informa que é casado, mas chega à sua empresa sem a certidão de casamento. “Nós não casamos no cartório, mas vivemos juntos”, ele justifica.

Se você trabalha com o processo admissional, com certeza já passou por essa situação. É comum que os candidatos tenham dúvidas sobre o que é união estável e qual a diferença para o casamento. Assim como qual a documentação necessária para cada um dos estados civis.

Esse tipo de dúvida é mais frequente nos casos em que o candidato ainda não tenha tido empregos formais anteriormente.

Uma dica para auxiliar nesse quesito é já explicar na ficha cadastral a diferença entre “casado” e “em uma união estável”, assim como a documentação que deve ser apresentada.

Correndo contra o tempo

Essa é uma dificuldade maior para aqueles candidatos que estão em um processo de transição de uma empresas. Isso porque, além de precisar organizar toda a documentação para o processo de admissão, é provável que o candidato ainda tenha que resolver pendências do emprego anterior.

E se você nunca parou para pensar no tempo necessário para ser admitido, a hora é agora!

No melhor cenário possível, o candidato precisará encontrar os documentos, ir tirar cópia, tirar foto 3×4, se deslocar até a empresa entregar a documentação e torcer para estar tudo correto. Aí ele só tem que voltar para fazer o exame admissional, assinar o contrato e os termos de benefícios. Tudo isso em horário comercial!

Esse cenário pode ser bem mais complicado, se o seu candidato for casado e tiver filhos. Se ele se esquecer ou se confundir com alguma documentação, horas adicionais serão desperdiçadas. Se houver pendências no eSocial então, o problema só cresce.

E se o seu candidato mora em outra cidade? E se ele vem de outro estado?

Localização geográfica

A localização geográfica do seu candidato pode ser um grande obstáculo para uma contratação rápida. Além de todos os entraves anteriores, o candidato migrante, enfrenta ainda mais desafios!

Ele precisa chegar a cidade, que muitas vezes ele não conhece, conseguir um lugar para morar, cuidar dos detalhes da mudança e ainda entregar todas os documentos necessários para ser admitido.

“Mas eu ainda não tenho comprovante de residência” “Meu comprovante de residência não é no meu nome”

Essa talvez seja um dos problemas mais comuns para um candidato que veio de outra cidade. Nesse caso, não tem procedimento certo ou errado. Mas é essencial que seu RH esteja preparado para essa situação, e consiga instruir o candidato da melhor foma possível.

Custos

Você sabia que um candidato pode gastar até 44 reais só com o processo de admissão? Em uma pesquisa realizada pela Acesso Digital, a partir dos dados de clientes do AcessoRH, foram identificados os principais custos para os candidatos durante o processo de contratação.

São gastos com impressão e cópias de documentos, foto 3×4 e transporte até a empresa. Sem considerar os custos da autenticação em cartório, exigência de algumas empresas.

Imprevistos sempre acontecem 

Além de todas as dificuldades citadas, o seu candidato também pode ter imprevistos!

Muito além de “Meu cachorro comeu minha carteira de trabalho”, uma pessoa em processo de contratação enfrenta alguns desafios inesperados, que podem atrasar o processo admissional.

Esses imprevistos podem ser desde perda ou esquecimento de algum documento, até extravio pelo correio – nos casos em que o candidato é de outra cidade.

Nesses casos, o RH pode analisar caso a caso e ajudá-lo a resolver o problema.

Mas já parou para pensar como você, enquanto RH pode evitar que seu candidato passe por toda essa burocracia?

 A admissão digital e suas vantagens para o candidato

A admissão digital, além de ser uma solução para otimizar o processo do RH, traz muitos benefícios para os candidatos.

Já imaginou como é enviar seus documentos diretamente da sua casa? Com a admissão digital, seu candidato faz a própria admissão, sem se deslocar! Em qualquer hora do dia e bem rápido! Usando o AcessoRH, por exemplo, ele consegue finalizar todo o processo em menos de 2 horas.

Além de toda a facilidade envolvida nisso, a ferramenta também elimina os custos que o candidato teria com transporte, cópias de documentos e foto 3×4.

Além disso, a experiência inovadora e a tranquilidade de saber que seus documentos estão armazenados de forma segura, são outras vantagens desse tipo de solução.

Claro que mesmo sendo admitido por uma ferramenta de admissão digital, seu candidato pode ter algumas dificuldades. Mas elas são muito menores do que você pensa!

De qualquer forma, independente de como seja o seu processo de admissão, a regra de ouro é: Se coloque no lugar do seu candidato. Como ele gostaria de ser admitido? Como você pode tornar a experiência dele mais agradável?

Esse é o último artigo de uma jornada de admissão digital! Para acessar ao primeiro da série, clique aqui.

Artigos relacionados