• Admissão
  • Recursos Humanos
  • Tecnologia

Novo normal do trabalho: o que significa e como as organizações têm se adaptado a ele

Camila Silva
  • 10 de julho de 2020
  • 6 min de leitura

Desde fevereiro de 2020, quando o primeiro caso de COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus) foi notificado na cidade de São Paulo, governos municipais e estaduais publicaram decretos visando combater a proliferação da pandemia. O fechamento das empresas e comércio esteve entre as principais medidas preestabelecidas, uma vez que o distanciamento social era a principal forma de prevenir a disseminação. 

Nesse contexto, as organizações dos mais variados nichos de atuação adotaram o home office, novo modo de trabalho que trouxe alguns desafios para o negócio. Além disso, surgiu a necessidade de entender quais seriam as mudanças que ocorreriam com o novo normal do trabalho, justamente pelo fato de as empresas terem enxergado a necessidade de digitalizar seus setores. 

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo baseado na pesquisa “Impactos da Covid no trabalho em grandes empresas” para que você entenda o que significa esse novo normal e como as empresas têm se adaptado a ele. Continue a leitura e saiba mais!

Os desafios do trabalho remoto

Inicialmente, vamos explicar um pouco mais sobre quais foram os desafios enfrentados pelas organizações assim que o trabalho remoto foi implementado. O primeiro deles está relacionado à falta de comunicação e informação para que seus colaboradores pudessem exercer a sua rotina de forma eficaz.

Por essa razão, houve a necessidade de buscar por ferramentas que pudessem compartilhar arquivos e dados relativos ao negócio, além de as reuniões entre equipes precisarem ser mais constantes para contornar o gargalo. 

A tecnologia obsoleta foi outro ponto identificado pelas empresas que não mantinham a cultura do home office. Independentemente do contexto, quando as ferramentas utilizadas não cumprem com as necessidades do colaborador, consequentemente surgirão ruídos de comunicação e até mesmo baixa produtividade de seus profissionais. Além disso, processos inadequados podem ocasionar em obstáculos para a falta de engajamento, retrabalhos e insatisfação de seu quadro. 

Entre os pontos que permitiam a solução de alguns desses gaps, a digitalização dos setores torna-se uma das principais, justamente por otimizar o tempo dos profissionais, contar com um banco de informações preciso para o dia a dia do negócio, bem como permitir a facilidade de acesso remoto. 

Os impactos nas organizações devido ao cenário de instabilidade

Conforme observado, os desafios enfrentados pelas organizações foram muitos. Nesse contexto, a pesquisa “Impactos da Covid no trabalho em grandes empresas” feita pela Acesso Digital em parceria com a Cia de Talentos e o Grupo Locomotiva, entrevistou 185 gestores de RH entre os dias 14 e 27 de abril, com o objetivo de entender quais foram as respostas dessas organizações frente ao novo contexto. 

95% delas adotaram o modo de trabalho home office, mas desse total apenas 64% delas estavam com todos os colaboradores exercendo o trabalho remoto. O estudo revelou um outro desafio enfrentado pelas organizações: 

49% delas relataram que os profissionais temiam perder seus empregos, o que pode contribuir para trazer desengajamento do time e queda de produtividade. Apenas 34% delas relataram que a motivação desses colaboradores aumentou, enquanto 35% afirmaram que não houve esse aumento. 

As ações da área de RH

O RH estratégico tem se destacado nos últimos anos, uma vez que ele contribui para alinhar os interesses da empresa ao bem-estar e produtividade de seus colaboradores. Em um contexto de pandemia, a importância desse setor aumentou ainda mais, especialmente para preservar o alinhamento da comunicação e também para criar ações que pudessem orientar os profissionais a lidarem com os desafios desse novo cenário. 

De acordo com a pesquisa apresentada, a avaliação dos gestores foi bastante satisfatória no que se refere à proteção, home office e comunicação. 55,8% dos entrevistados acreditam que as estratégias adotadas pelas empresas são eficazes, com notas entre 9 e 10. No entanto, em relação à adaptação e assistência ao novo modelo de trabalho, apenas 28,4% dos entrevistados acreditam que as ações de suporte são eficientes.

Em outros pontos pode-se observar novamente essa discrepância. Enquanto a rapidez na tomada de decisão para a proteção de funcionários e a comunicação transparente estiveram em alta (63% e 57% das empresas avaliaram com notas 9 e 10), a manutenção do engajamento dos funcionários foi observada em apenas 32% e o treinamento de lideranças para o trabalho remoto e seus desafios com um número ainda menor de: 24%. 

O que especialistas têm a dizer sobre esse novo normal nas empresas? Confira o Webinar da Acesso Digital! 

A importância da digitalização de processos nesse cenário 

Conforme observado nos desafios de uma gestão de equipe remota, a tecnologia obsoleta e a ausência de informações esteve entre os principais pontos enfrentados pelas organizações. Nesse sentido, torna-se essencial a digitalização dos processos como forma de trazer dados eficazes aos colaboradores para exercerem suas funções. 

Quando falamos sobre essa digitalização, mencionamos também sobre a importância de alguns dos processos contarem com soluções eficazes para que o trabalho remoto seja cumprido de forma eficaz. E a admissão de profissionais de forma digital, é um bom exemplo. Com o compartilhamento de documentação, além do uso de ferramentas para a assinatura digital, foi possível que as etapas dos processos admissionais fossem concluídas normalmente, sem que houvesse a necessidade de deslocamento do candidato – algo especialmente complicado em tempos de pandemia. 

A automação de processos

Preocupar-se com a automação de processos nas empresas se tornou uma necessidade para conquistar vantagem competitiva no mercado. Trata-se de adotar ferramentas que contribuem para diminuir o trabalho manual, o que possibilita aos profissionais de RH uma visão mais estratégica para o negócio e um foco contínuo no crescimento e desenvolvimento da organização. 

Um desses processos é justamente a contratação de novos funcionários, contribuindo para que as etapas sejam concluídas de forma mais rápida, além de trazer praticidade ao colaborador. Em um contexto como o da pandemia da Covid-19, empresas que precisaram fazer suas contratações e que ainda não contavam com ferramentas próprias para cumprir com as obrigações de forma remota enfrentaram mais um desafio, reforçando a necessidade de buscar por processos de admissão mais modernizados. 

Porque a instabilidade acelerou os processos de transformação digital

A transformação digital em uma empresa trata-se de um fenômeno que vai incorporar o uso da tecnologia para solucionar problemas comuns do dia a dia de um negócio. Nesse sentido, a instabilidade observada por esse contexto acelerou significativamente o processo, uma vez que ele traz o ganho de eficiência, um controle maior de gestão, diferencial competitivo, além de uma redução de custos para a organização. 

Em situações normais, por se tratar de uma reestruturação, esse processo deve acontecer de forma natural para que os colaboradores possam se readequar às novas funcionalidades, além de a empresa entender como os seus hábitos serão modificados por meio da adoção de novas soluções. 

No entanto, em meio a um contexto desafiador que trouxe novas perspectivas para as organizações, a transformação digital pode acontecer de forma forçada em algumas empresas, visando trazer um melhor funcionamento aos processos, além de manter a saúde financeira do negócio sempre positiva. É justamente essa aceleração que denominamos como o “novo normal do trabalho”, que traz ferramentas úteis para diferentes realidades. 

O processo de admissão nas empresas

A pesquisa “Impactos da Covid-19 no trabalho de grandes empresas” já mencionada, também destacou a realidade de algumas empresas no que se refere aos processos admissionais. Em grande parte das organizações, as etapas são feitas de forma tradicional: 31% dos gestores afirmaram que a contratação exige esforço de ao menos 6 pessoas, além de contar com uma política bastante burocrática. Veja os resultados: 

  • 9% das empresas — 1 pessoa; 
  • 18% das empresas — 2 pessoas;
  • 33% das empresas — 3 pessoas;
  • 7% das empresas — 4 pessoas;
  • 2% das empresas — 5 pessoas. 

Outro ponto que deve ser destacado é o fato de que na maior parte das empresas representadas esse processo demora até 15 dias para ser concluído (38%), enquanto 36% delas afirmaram que demora uma semana. Sendo assim, percebe-se que esse é um processo que demanda tempo e também equipe, fazendo com que tarefas mais estratégicas sejam deixadas de lado para que possa fazer uma contratação eficaz. 

As questões burocráticas tornam-se um outro gargalo durante a atração de colaboradores. De acordo com a pesquisa, 37% das empresas chegaram a perder um candidato a uma vaga de emprego, por causa da complexidade de seus processos. Em relação à documentação, apenas 65% aceitam receber o envio de documentação por e-mail. Por WhatsApp, esse número é inferior: 29%. 

47% dos entrevistados afirmaram que os candidatos precisam ir à empresa pelo menos uma vez em todo o processo, enquanto 21% dos gestores afirmaram que a ida presencial pode ser de pelo menos duas vezes. 

Os efeitos e tendências na admissão

Devido a todo esse contexto, as empresas saíram em busca de um processo aprimorado para a admissão e contratação de seus profissionais. Segundo a pesquisa, quase metade delas já começou a implementar soluções que permitem essa modernização (47%), enquanto 86% deles desejam modernizar os seus processos. 23% dos gestores afirmaram que devem implementar até o próximo ano, o que comprova a necessidade de trazer mudanças para se destacarem no mercado. 

No entanto, apesar de a maioria dos profissionais acreditar que deve buscar por novas soluções, quase metade dessas pessoas diz não sofrer pressões por parte das lideranças para agilizar o processo. 

Hoje, existem ferramentas, como o AcessoRH, que agilizam significativamente a admissão. Por meio delas, é possível criar a oportunidade e definir quais documentos precisam ser enviados. A partir do cadastro, o candidato recebe uma solicitação via SMS e/ou e-mail para se cadastrar na ferramenta, fazendo o preenchimento e o envio de todos os dados necessários.

O próprio programa faz a análise e validação da documentação junto ao eSocial, enviando notificação quando existem erros nos arquivos enviados. Durante todas as etapas, os profissionais de RH têm a oportunidade de fazer o acompanhamento em tempo real, finalizando o processo quando necessário. 

Neste conteúdo, você pôde conhecer mais informações sobre o “novo normal” do trabalho, quais são as tendências para os próximos anos, além de conhecer os impactos da pandemia da Covid-19 nas empresas. Buscar pela digitalização tornou-se uma necessidade das organizações, justamente para ter a oportunidade de atender contextos desafiadores e oferecer suporte aos profissionais e também aos candidatos. 

Por essa razão, conte com um bom planejamento e implemente as mudanças para que as vantagens possam ser observadas pela sua equipe! Deseja saber um pouco mais sobre as soluções que podem ser adotadas em sua equipe? Entre em contato com a gente e tire suas dúvidas!

Artigos relacionados