• Recursos Humanos

Componentes da cultura organizacional: conheça os principais

Camila Silva
  • 14 de outubro de 2020
  • 6 min de leitura

Para que a empresa possa alcançar os resultados esperados, existe a necessidade de contar com boas estratégias de marketing, levar em consideração o planejamento estratégico elaborado para o ano, além de contar com um bom time de vendas que atenda às expectativas geradas. No entanto, conhecer os principais componentes da cultura organizacional e o impacto que isso gera para a produtividade dos colaboradores também é essencial.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você entenda um pouco mais sobre esse tema, conheça os principais tópicos do assunto e fique por dentro das vantagens de uma cultura organizacional que esteja presente o tempo todo na realidade dos colaboradores. Continue a leitura e saiba mais!

Qual a importância da cultura organizacional para a empresa?

Primeiro, vamos entender sobre a importância da cultura organizacional para a empresa. Mas o que de fato é a cultura organizacional? Também chamada de cultura empresarial ou cultura corporativa, trata-se da forma com que o negócio lida com seus clientes, sejam eles internos ou externos.

Nesse sentido, é um conjunto de práticas, comportamentos e políticas que refletem diretamente a cultura de uma organização, sendo essencial a sua vivência no dia a dia de trabalho. Mas como isso impacta para a empresa? Entenda!

Atração e retenção de talentos

Atrair e reter talentos pode ser considerado um dos principais desafios para as empresas, especialmente para o RH. Hoje, observamos uma mudança significativa no perfil dos profissionais. Não se preocupam tanto apenas com os seus salários ou com o nome da organização, mas sim em se sentir bem no local de trabalho e ser condizente com os principais valores do negócio.

Nesse contexto, deve-se ressaltar que a cultura que seja forte entre os empregadores, certamente, vai fortalecer a marca da empresa. Consequentemente, além de atrair novos talentos, vai conseguir reter aqueles que acreditam no negócio e que sentem que podem contribuir para o sucesso dessa história.

Autogerenciamento

Entre as principais vantagens do autogerenciamento para as empresas, destaca-se o foco maior nos resultados, o ganho de autonomia por parte dos colaboradores para trazer inovação ao negócio, além de gerar uma atitude colaborativa para o dia a dia.

Em uma organização com a cultura organizacional forte, certamente seus profissionais também terão a ciência de suas funções de forma mais clara, serão proativos para desenvolverem novos projetos, além de serem críticos quanto às melhorias que podem ser aplicadas nas principais atividades do negócio.

Processos mais ágeis

Devido ao autogerenciamento dos profissionais, os resultados serão mais ágeis. A partir do momento que há a incorporação da cultura organizacional, as atividades se tornarão mais práticas, justamente pelos colaboradores entenderem as suas funções e demandarem pouco dos gestores diretos.

Maior satisfação do cliente

Como consequência direta de todos esses pontos, o time vai perceber maior satisfação do cliente. De acordo com uma pesquisa da Gallup, funcionários engajados aumentam em até 20% a rentabilidade de uma empresa.

Afinal, profissionais mais produtivos e satisfeitos, certamente, vão executar as suas atividades com mais qualidade, o que impacta fortemente a percepção que o público tem sobre o seu atendimento e também sobre a empresa como um todo.

Como aplicar a cultura organizacional na empresa?

Agora que você já conhece os principais ganhos de uma cultura organizacional forte, chegou o momento de entendermos como aplicá-la na empresa. Veja!

1. Crie um documento completo e de fácil acesso aos seus colaboradores

A cultura organizacional parte da visão que os donos, presidentes e gestores têm sobre a sua empresa. Entenda: e empresa só investirá em diversidade se essa iniciativa partir da diretoria, investindo parte de suas vagas para pessoas cujas narrativas sejam de maior vulnerabilidade em nossa sociedade.

Nesse sentido, por meio de uma percepção de mundo na qual gestores têm e que acreditam ser essenciais para seus colaboradores, é possível criar um documento cujo acesso seja facilitado por toda a equipe. Assim, sempre que houver dúvidas sobre os pilares da organização, a consulta pode ser feita de onde quer que esteja, contribuindo para o fortalecimento dessa cultura no dia a dia de trabalho.

2. Alinhe os objetivos com os colaboradores

Antes de começar a aplicar a cultura organizacional na empresa, é preciso que esses objetivos sejam alinhados com os colabroadores. Afinal, de nada adianta contar com uma equipe que seja alinhada aos valores do negócio se eles não entendem a real importância dessa aplicabilidade.

O ideal é que esse documento seja apresentado ao colaborador logo no início de sua jornada dentro da empresa. Ou seja, a fase de onboarding é essencial para que ele conheça tudo o que a empresa considera essencial na rotina das atividades.

3. Escolha líderes que sejam exemplos

Profissionais se baseiam fortemente em suas lideranças. Por essa razão, a escolha de quem serão os seus gestores, coordenadores e demais cargos que vão comandar uma equipe deve ser pensada exclusivamente na sua cultura organizacional. Afinal, um dos grandes riscos de que ela não seja aplicada no dia a dia é o fato de os profissionais considerarem que a cultura esteja apenas no papel.

Ao escolher novos profissionais ou até mesmo lideranças que não se adéquam a esse perfil, consequentemente poderá haver uma quebra de confiança por parte dos colaboradores.

4. Aprimore o processo seletivo

Por falar em novos colaboradores, é fundamental que o processo seletivo seja aprimorado na empresa, de modo que os recrutadores avaliem o fit cultural que o candidato tem com a organização. Para que essa etapa do processo seletivo seja cumprida de forma efetiva, é preciso inicialmente que os valores da empresa sejam bem definidos. Nas entrevistas, realize dinâmicas, testes e entrevistas comportamentais. Assim, o time tem a possibilidade de conhecer melhor o perfil dos candidatos envolvidos.

Entre as principais vantagens de contar com esse tipo de estratégia, destacamos:

  • maior tempo de permanência do candidato selecionado na empresa, contribuindo para que haja uma redução de gastos em processos de demissão e contratação;
  • aumento da produtividade de toda a equipe;
  • desenvolvimento de talentos.

Quais são os principais componentes da cultura organizacional?

Um dos grandes desafios enfrentados pelas empresas, hoje, é o de colocar esse conceito na prática. Muitos gestores entendem a importância que isso traz para os resultados do negócio, mas não conseguem aplicá-la. Por essa razão, é fundamental conhecer os principais componentes da cultura organizacional. Veja!

1. Artefatos

Os arfetados são um dos principais componentes da cultura organizacional, além de ser um dos mais tranquilos de serem identificados. Tal afirmativa é feita devido ao fato de eles englobarem pontos que há de concreto em uma empresa. Ou seja, se caracterizam como artefatos:

  • os produtos desenvolvidos pelo seu negócio;
  • os serviços oferecidos pela empresa;
  • a decoração do ambiente (a cultura está refletida até mesmo na forma como você apresenta seu escritório para clientes e parceiros);
  • organograma;
  • grau de formalidade (a forma como seus colaboradores devem vestir, por exemplo); entre outros.

2. Valores compartilhados

Conforme abordamos, os valores compartilhados partem dos fundadores da empresa e de seus principais líderes. Por meio do que eles acreditam ser essenciais para a rotina dos colaboradores, um documento será criado contendo todas essas informações, tendo a oportunidade de levar aos novos colaboradores e também aos antigos profissionais todos os pontos importantes a serem aplicados na rotina.

Quais são os principais exemplos de valores compartilhados quando nos referimos aos componentes da cultura organizacional? Entre eles, pode-se destacar:

  • vontade de crescer — a importância identificada pelos próprios colaboradores de se desenvolverem continuamente em suas funções;
  • vontade de aprender — a busca constante em trazer novos conhecimentos para a sua rotina, contribuindo para que as atividades exercidas sejam de maior facilidade;
  • ensinar — a necessidade identificada pelos próprios colaboradores de compartilhar conhecimento com todo o time;
  • importar-se — contar sempre com um olhar de atenção em relação ao colega para que toda a equipe possa se destacar e, consequentemente, permitir com que a empresa se destaque.

3. Pressuposições básicas

Encontrar as pressuposições básicas talvez seja um dos grandes desafios para as empresas, especialmente pelo fato de que elas exigem um estudo aprofundado da cultura organizacional. Nesse sentido, existe a necessidade de que já haja uma cultura forte em seu negócio, de modo que ao longo da jornada dos colaboradores dentro da realidade de seu negócio tenha sido criadas histórias, rituais e uma maneira de linguagem própria das pessoas que trabalham em sua organização.

Ou seja, trata-se de crenças e percepções inconscientes que são interiorizadas pelos profissionais.

4. História

Qualquer que seja a empresa conta com histórias que moldaram o que ela é hoje. Sejam os primeiros meses e as primeiras conquistas atribuídas aos founders, seja as primeiras contratações de novos times, contribuem para legitimizar as principais práticas do presente.

5. Rituais e cerimônias

Quais são os principais eventos que a sua empresa realiza? Sejam eles de integração, sejam as reuniões mensais de times para apresentar resultados, eles também são componentes da cultura organizacional que devem ser levados em consideração pelo time. Entre as vantagens de contar com esses diferenciais para a sua empresa, deve-se destacar:

  • engajamento dos profissionais;
  • melhor comunicação interno;
  • integração entre diferentes setores;
  • reforço da missão e valores da empresa;
  • reconhecimento para os resultados do negócio.

6. Símbolos materiais

Na empresa, há também a comunicação não-verbal. A relação entre os profissionais no dia a dia de negócio, bem como as estações de trabalho, podem contribuir para uma melhoria das atividades ou também para prejudicá-la. Por essa razão, esses símbolos materiais também fazem parte dos componentes da cultura organizacional, uma vez que fortalecem comportamentos.

Exemplo: hoje, empresas buscam cada vez mais por espaços mais amplos e sem paredes contribui para uma integração mais próxima dos colaboradores e também para que eles estejam mais envolvidos na rotina de atividades dos colegas.

7. Linguagem

Por fim, cada empresa tem a sua própria linguagem, seja relativa a processos, seja a pessoas ou até mesmo vestuário, diferenciando-a das demais.

Neste material, você pôde conhecer alguns dos principais componentes da cultura organizacional, a importância que isso tem para a empresa, além de conferir dicas de como implementar uma cultura forte. Conforme percebemos, é essencial buscar trazer esse conceito para o dia a dia das empresas, uma vez que contribuirá significativamente para a satisfação dos colaboradores e, consequentemente, para clientes mais engajados com os resultados.

Gostou das dicas apresentadas neste material? Continue no blog e entenda maneiras práticas para reduzir a rotatividade de colaboradores em um negócio.

Artigos relacionados