• Destaques
  • E-commerce
  • Varejo

Experiência de compra: como o reconhecimento facial melhora esse processo

admin-blog-bio
  • 25 de março de 2019
  • 6 min de leitura

Independentemente do setor, 81% dos consumidores estão dispostos a pagar mais por experiências melhores. E mais do que isso, os consumidores, hoje, estão dispostos a compartilhar suas experiências de compra com conhecidos e desconhecidos, interferindo diretamente no impacto das marcas no mercado.

Identificar e solucionar os principais problemas ao longo de toda a jornada de compra, sem que as soluções prejudiquem experiência do usuário, portanto, é o grande desafio de quem almeja se destacar.

Por isso, neste artigo vamos falar um pouco mais sobre esse tema e mostrar como a sua empresa pode facilitar a experiência de compra e deixá-la mais prazerosa para os clientes.

O que é experiência de compra

A experiência de compra pode ser definida como o somatório das percepções do consumidor ao interagir com uma marca, seja antes, durante ou depois do consumo.

Logo, para oferecer uma experiência de compra única, é preciso considerar que as necessidades do consumidor vão muito além da mera aquisição de um produto ou serviço e que todos os elementos envolvidos na operação de venda são oportunidades que o consumidor tem de criar uma imagem boa (ou ruim) sobre o seu negócio.

Essa consciência é especialmente relevante em uma conjuntura em que o consumidor tem todo o poder de decisão. A internet possibilita que ele explore, pesquise e, sobretudo, compare quantas alternativas julgar necessário antes de se decidir por uma compra. Nesse cenário, o que a sua marca puder oferecer, além do produto e do serviço, é que vai fazer a diferença.

Como o reconhecimento facial melhora a experiência de compra do cliente?

Por mais diferentes que sejam os grupos de consumidores e os setores de atuação, a experiência do consumidor, via de regra, se apoia sobre os mesmos pilares:

  • Segurança;
  • Agilidade;
  • Conforto;
  • Simplicidade;
  • Personalização;

Desse modo, o reconhecimento facial contribui para melhorá-la oferecendo essas garantias por meio da otimização dos vários processos envolvidos na jornada de compra do cliente, em qualquer etapa.

O reconhecimento facial torna a autenticação do cliente mais assertiva e os ambientes de compra mais seguros

A proteção de dados pessoais é uma das maiores preocupações do consumidor brasileiro, principalmente em ambientes online. Porém, ainda que 64% dos que compram pela internet tenham medo de que suas informações sejam roubadas, 55% continuam dispostos a pagar por produtos por meio de smartphones e outros aparelhos portáteis.

Isso é ainda mais relevante se observarmos que a tendência é que mais e mais pessoas deem preferência ao e-commerce, graças às facilidades que o varejo online propicia.

Já nas lojas físicas, soluções que visam otimizar a experiência de compra, como serviços de concessão de crédito e até mesmo o próprio pagamento com cartão, também esbarram nos obstáculos de autenticações pouco assertivas.

Em uma pesquisa conduzida pela Visa, por exemplo, observou-se que embora 90% dos consumidores entendam que seu pagamento é protegido quando usam uma senha, 86% continuam preocupados com sua segurança.

Além disso, a necessidade de guardar diferentes dados de autenticação também repercute negativamente sobre as compras: 66% dos consumidores entrevistados abandonaram uma compra online porque não tinham acesso ao seu cartão no momento e 28% abandonaram porque não conseguiram se lembrar da senha utilizada para aquela conta.

Com o reconhecimento facial como principal meio de autenticação, esse problema é solucionado: analisando padrões milimétricos e singulares do rosto de um indivíduo, e com uma assertividade que está acima dos 99%, o cliente só precisa de seu rosto para se identificar.

Tal é a vantagem para a experiência de compra, que os próprios clientes reconhecem seu potencial: ainda de acordo com a pesquisa da Visa, 98% dos consumidores estão interessados em usar pelo menos um método biométrico para verificar sua identidade e, coincidentemente, 98% também estão interessados em usar pelo menos um método biométrico para fazer pagamentos.

Logo,  seja na hora do cadastro, da autenticação para algum serviço personalizado ou do pagamento, com a tecnologia de reconhecimento facial o consumidor terá a certeza de que tanto ele quanto seus dados estarão protegidos, sem a necessidade de ter que se lembrar de inúmeras informações.

O reconhecimento facial diminui o tempo gasto na aquisição de produtos ou serviços

Os consumidores conhecem o potencial dos recursos tecnológicos disponíveis atualmente. Por isso, têm exigido cada vez mais integração de informação entre os canais de compra e cada vez mais agilidade para efetuar o pagamento.

Exemplo disso é que, em 2017, o percentual de consumidores que compram mensalmente em lojas físicas e o percentual de consumidores que compram mensalmente pelo computador empatou: ambos fecharam o ano em 55%.

Além disso, 39% dos consumidores entrevistados pela pesquisa Total Retail de 2017 informaram que o smartphone será seu principal meio de compra.

A razão dessa demanda tem a ver, principalmente, com a alta performance das soluções online. Com alguns cliques, o cliente pode verificar preços, ofertas e alternativas de compra – e espera que isso se estenda a todas as etapas de sua jornada.

Impedi-la com procedimentos de autenticação demorados, como envio de links de confirmação e digitação de dados, portanto, compromete sua experiência na medida em que vai na contramão de suas expectativas.

Mas, tornando o processo de autenticação mais assertivo, o tempo que seria gasto com o cadastro e a verificação de e-mails, senhas, CPFs, nome, dados de cartão, telefones, entre outros, é reduzido a menos de 2 segundos com o reconhecimento facial.

Afinal, esse é o tempo que leva para a tecnologia fazer a análise do rosto do cliente em seu banco de dados e validar sua identidade.

O reconhecimento facial pode ser feito de qualquer lugar, a qualquer momento

A tecnologia da biometria facial só precisa de uma foto do rosto do cliente para fazer a autenticação – o que também a destaca de outras soluções biométricas.

Como a maioria dos aparelhos portáteis conta com câmera integrada, o consumidor pode validar sua identidade a qualquer momento e de onde estiver

Para os varejistas, a solução significa economia de tempo e de recursos nas lojas físicas, que poderão ser alocados para criar melhores experiências de atendimento e de vendas.

Assim, oferecendo uma solução simples, o reconhecimento facial garante também o conforto que o consumidor espera quando resolve fazer uma compra independente do ambiente, seja ele físico ou online.  

O reconhecimento facial possibilita uma experiência de compra personalizada e uma melhor relação entre consumidor e empresa

Hoje, o consumidor espera que sua relação com uma marca vá além da aquisição isolada de um produto. Ele quer que a marca o conheça, entenda suas preferências, e está disposto a fornecer os dados necessários para isso.

Um relatório da Ford levantou que, 39% dos consumidores revelaram não se importar em compartilhar informações pessoais com as empresas, desde que:

  1. essas informações sejam protegidas;
  2. não sejam informações demais.

Além disso, no relatório Total Retail de 2017, 73% dos brasileiros entrevistados manifestaram interesse em ofertas personalizadas, desenvolvidas em tempo real, e 53% alegaram gostar de receber essas ofertas em seus smartphones.

Ou seja, o consumidor deixou de se preocupar só com a compra que ele está fazendo em um determinado momento para se preocupar, também, com as compras que ele fará futuramente – seja com a mesma marca ou não.

E é por esse motivo que oferecer uma boa experiência de compra é tão importante: ele quer que as próximas compras sejam com a mesma marca.

Portanto, reduzindo a quantidade de dados compartilhados e garantindo, de maneira altamente eficaz, que eles não sejam roubados ou divulgados, com a tecnologia de reconhecimento facial é possível conciliar o receio quanto à segurança das informações fornecidas e o volume de informações necessário para a criação de experiências únicas para o cliente.

O resultado disso é uma fidelização natural de consumidores que se sentirão valorizados por uma marca preocupada com suas necessidades, ressalvas e preferências na mesma medida.

Porque, por mais que seja fácil explorar o mercado com a ajuda da internet, a tendência do consumidor ainda é de comprometimento.

Assim, garantindo que suas principais expectativas sejam atendidas, o reconhecimento facial propicia uma experiência de compra inesquecível para o consumidor.

Conclusão

Transformar a experiência de compra do seu cliente em algo mais simples e prazeroso não é uma tarefa tão difícil e pode trazer benefícios que vão muito além do retorno financeiro imediato.

Por isso, é importante buscar por tecnologias e soluções que te permitam facilitar a jornada de aquisição de um produto ou serviço e que aumentem a confiança e tranquilidade do consumidor com sua empresa.

O reconhecimento facial é uma dessas tecnologias e pode transformar a forma como um negócio lida com dados e faz outros processos como autenticação de cadastro, validação das compras e dados, entre outros.

O AcessoBio é uma das soluções que podem ser usadas nesse caso, já que, por meio do reconhecimento facial, torna as transações mais simples e seguras, tanto para a empresa, quanto para seus clientes.

Conheça mais sobre a solução clicando aqui e entre em contato com nosso time para saber como podemos ajudar!

Se você gostou desse artigo, não deixe de compartilhar com os amigos em suas redes sociais.

Artigos relacionados