• Aplicativos
  • Bancos
  • biometria
  • E-commerce
  • Financeira
  • Fintech
  • Varejo

Como funciona a Biometria Facial e quais são os usos dessa tecnologia?

rafaella.melani
  • 17 de fevereiro de 2020
  • 4 min de leitura

A biometria facial já é uma realidade no Brasil e no mundo. Tanto empresas privadas quanto o setor público já adotam o reconhecimento de rostos em muitas situações. Mas como funciona a biometria facial na prática?

Há muita tecnologia envolvida nesse sistema que capta e analisa características faciais para vinculá-las a uma identidade. O mercado do reconhecimento facial já movimenta mais de 3,3 bilhões de dólares no mundo e, segundo dados da consultora MarketsandMarkets, poderia chegar a 7,7 bilhões de dólares em 2022.

Para entender como funciona a biometria facial, explicamos neste post a tecnologia por trás do sistema e como essa solução está sendo usada no Brasil e no mundo.

 

Como funciona a Biometria Facial?

A biometria facial é uma forma de reconhecimento que compara os traços permanentes da face, como distância entre os olhos ou entre os olhos e boca. Através dessa análise é possível definir a identidade de uma pessoa. Os traços do rosto podem ser comparadas a digital do dedo, por serem tão únicos a cada indivíduo.

Atualmente o nível de precisão desse sistema é altíssimo. O Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos EUA indicou que entre 2014 e 2018 a exatidão da biometria passou de 96% para 99,8%.

Mas como funciona a Biometria Facial no momento de análise? O que a tecnologia faz é um mapeamento de vários pontos do rosto humano, utilizando algoritmos matemáticos. Esses pontos são chamados de pontos nodais. Existem cerca de 80 pontos nodais na face humana. 

Entre as características que são analisadas pelo sistema estão:

  • Distâncias (do nariz aos olhos; da boca ao queixo e etc); 
  • Marcas e cicatrizes; 
  • Contorno da face; 
  • Formato da extremidade da face

A partir do mapeamento desses pontos, forma-se uma imagem tridimensional que é transformada em uma sequência de números que o sistema armazena e reconhece. Essas informações geram uma espécie de “identidade facial”, que posteriormente é comparada com os dados presentes em bancos de dados. 

Através da comparação dessas informações, o sistema determina o nível de similaridade entre o rosto avaliado e a imagem existente. Para entender ainda mais a fundo como funciona a Biometria Facial, vamos ver os passos que o sistema segue:

1) Detecção facial

A detecção facial é o primeiro passo de um sistema mais amplo. Ou seja, antes de reconhecer a identidade, é necessário detectar através de uma imagem ou vídeo, a existência de um rosto e a sua localização.

Essa imagem pode ser capturada pela webcam do computador ou do celular ou por uma imagem previamente armazenada. Nessa foto são aplicados filtros para detectar as formas do rosto humano, como os olhos, a boca, o nariz, entre outros. Esse processo é feito utilizando algoritmos de machine learning, o que significa que se usa um sistema que permite que as máquinas aprendam a partir dos dados que estão captando.

Normalmente, a detecção começa identificando os olhos, porque é uma das áreas mais fáceis de serem localizadas. Depois, vai para outras regiões, como sobrancelhas ou nariz. Essa etapa não tem objetivo de verificar a identidade de uma pessoa, por isso é um procedimento anônimo. 

2) Extração de características

Nesta fase, as características rastreadas são analisadas, medindo-se a distância entre os diferentes pontos nodais presentes no rosto. A partir dessa análise, é extraída uma espécie de “assinatura facial” única do indivíduo. Essas informações são armazenadas em uma base de dados.

A obtenção dessa assinatura completa a etapa de extração de características. O objetivo aqui é calcular as especificidades de cada rosto, buscando nos detalhes as diferenças entre as pessoas.

3) Comparação com base de dados

Depois que o rastreamento e a análise são feitos, é preciso comparar as informações obtidas com uma base de dados. Depois disso, a ferramenta estabelece o grau de compatibilidade entre as imagens analisadas. É nesta fase que se comprova a veracidade da identidade informada.

 

Usos da Biometria Facial

Agora que já sabemos como funciona a Biometria Facial, vamos entender melhor quais são os usos possíveis para essa solução. Com a evolução da tecnologia de Reconhecimento Facial, o uso desse tipo de sistema vem se popularizando no Brasil e no mundo

No Brasil, 37 iniciativas em diferentes cidades adotam tecnologias de reconhecimento facial. Em geral, as soluções são empregadas nas áreas de segurança pública, transporte e controle de fronteiras. Entre as utilizações para as tecnologias de biometria facial estão:

  • para evitar fraudes, no setor privado, em processos de concessão de crédito, crediário, na transação de compra online e offline e uso indevido de benefícios de novas contas.
  • em aeroportos, para comparar fotos de passaporte com o indivíduo presencialmente
  • em transportes, para liberar o acesso a pessoas cadastradas no sistema
  • por empresas, para controlar acesso de funcionários a áreas restritas
  • pela polícia, para identificar suspeitos, analisando imagens capturadas e comparando a bancos de dados de documentos de identidade
  • na segurança privada e patrimonial, para analisar imagens do sistema de segurança e identificar pessoas que cometeram delitos dentro de lojas, shoppings e outros estabelecimentos

Veja também: Reconhecimento facial: 3 vantagens que essa tecnologia pode trazer para o seu dia a dia!

Mas não são só governos que utilizam a tecnologia. Empresas também estão passando a adotar soluções que usam a biometria facial.

A Hering, indústria especializada em vestuário, por exemplo, colocou sistemas de reconhecimento em uma loja da capital paulista com o objetivo de examinar as atitudes e práticas dos consumidores para planejar estratégias de marketing.

Outra empresa que utiliza a biometria facial é a Havan, uma rede de lojas de departamento com mais de 126 lojas físicas. A empresa utiliza o sistema de biometria facial Acesso Bio, tecnologia desenvolvida pela Acesso Digital, para garantir um processo seguro e eficiente de fornecimento de crédito.

Conheça mais sobre o case da Havan:

A DMCard, uma das principais administradoras de cartões de crédito de marca própria do país, também utiliza o AcessoBio para autenticação e validação de identidades. A marca DIGIO, cartão de crédito sem anuidade e mensalidades, do Banco CBSS, também é outro exemplo de empresa que usa a tecnologia de biometria facial.

Por propor a concessão de crédito 100% digital, o DIGIO buscou uma tecnologia que realizasse uma autenticação segura, ágil e eficiente, blindando sua operação de possíveis fraudes e protegendo a identidade de seus clientes.

Leia: O papel do reconhecimento facial no presente e no futuro do e-commerce

 

Como começar a usar a Biometria facial?

E você, já pensou em proteger o que seus clientes têm de mais valioso: a identidade? Por meio do AcessoBio isso é possível. Com a solução de reconhecimento facial, ajudamos empresas a proverem mais segurança e confiabilidade em suas operações.

Agora que já você sabe como funciona a Biometria Facial, entenda melhor como a AcessoBio funciona e como essa ferramenta pode contribuir para a segurança digital da sua empresa. O vídeo abaixo mostra o uso dessa tecnologia para o e-commerce, mas, como vimos, a biometria facial tem muitos outros usos e a AcessoBio pode te ajudar a implementar a ferramenta para o seu segmento:

Quer saber mais? Acesse o site ou entre em contato com um de nossos especialistas.

Artigos relacionados