• Aplicativos
  • Bancos
  • E-commerce
  • Financeira
  • Fintech
  • Segurança da Informação
  • Varejo

Como fazer um plano de segurança da informação: conheça o passo a passo desse processo 

rafaella.melani
  • 23 de abril de 2020
  • 4 min de leitura

Saber como fazer um plano de segurança da informação é uma estratégia essencial que deve estar entre as prioridades de uma organização. Isso porque assim como a tecnologia e a inovação se desenvolvem, as ameaças cibernéticas também evoluem em proporções alarmantes. 

Só para você ter uma ideia, de acordo com um estudo disponibilizado em agosto de 2019, o Brasil foi alvo de 15 bilhões de tentativas de ataques virtuais em um período de apenas três meses. Esse levantamento também identificou que o país está bastante suscetível a ameaças. Isto é, não apresenta a segurança que deveria. 

Apesar desse número assustador, muitas empresas não dão a devida importância ao assunto sendo que, muitas delas, nem mesmo imaginam que a tendência é de que esse cenário piore. 

Afinal, essas tentativas de ataques estão cada vez mais comuns e muito mais sofisticadas, representando um perigo em relação à violação da privacidade e facilitando que informações confidenciais vazem. 

Diante desses dados, dá para compreender a relevância de saber como fazer um plano de segurança da informação, não é mesmo? No decorrer deste post, abordaremos essa questão, assim com falaremos sobre os mecanismos de segurança da informação e as boas práticas. Boa leitura! 

mecanismos de segurança da informação

Como fazer um plano de segurança da informação: conheça o passo a passo

Confira agora o passo a passo para saber como garantir a segurança da informação em sua empresa de forma eficiente. 

1. Estabeleça quem irá participar desse planejamento 

O início do processo de saber como fazer um plano de segurança da informação requer planejamento, dedicação e organização. Nesse sentido, é preciso definir os participantes. Entre eles, o gestor de TI deve ser um dos principais. 

Também é crucial que os gerentes de outras áreas da companhia façam parte desse processo. Afinal, eles terão que transmitir para seus funcionários quais as orientações que deverão ser seguidas. 

Outro ponto importante do planejamento é avaliar a vulnerabilidade dos dados da empresa. Para tanto, o gestor do departamento de TI da companhia é a pessoa responsável para realizar essa análise. 

Com esses dados em mãos, o profissional conseguirá definir quais as boas práticas da segurança da informação deverão ser aplicadas por cada área. 

2. Defina os padrões e as políticas a serem seguidos

Um dos mecanismos de segurança da informação mais importantes é a etapa de definir padrões e as políticas que deverão ser seguidos por toda a organização. 

Em relação aos padrões, a dica é: tenha como guia a ABNT Norma: ISO/IEC 27002:2013, isso porque essa proposta apresenta as principais e mais efetivas diretrizes para garantir a segurança da informação. 

Em seguida, com base nessas medidas e no estudo feito sobre os dados da companhia na primeira etapa do planejamento, é o momento de criar uma Política de Segurança da Informação (PSI) para que toda a corporação a siga. 

Nesse processo, alguns itens merecem destaque, como:

  • boas práticas da segurança da informação para o uso das ferramentas e recursos de TI;
  • quem poderá ter acesso aos dados e a ordem de hierarquia de uso e responsabilidade;
  • o grau de vulnerabilidade dos dados e as consequências do vazamento de informações;
  • mecanismos de segurança da informação para tentar minimizar os riscos e, assim, proteger os dados. 

3. Invista em treinamentos

Além do Departamento de TI, uma empresa conta com colaboradores de outras áreas. Neste contexto, nem todos compreendem como o acesso aos dados deve acontecer, nem entendem os riscos que a empresa corre caso os dados sejam vazados. 

Sendo assim, é essencial oferecer treinamentos para todos funcionários que tenham este tipo de acesso para que, assim, eles fiquem a par das regras e das normas e que, é claro, as sigam com coerência. 

Nesse sentido, é primordial enfatizar que caso as equipes não coloquem isso em prática, os prejuízos para a companhia poderão ser enormes. 

boas práticas segurança da informação

Para valorizar essa etapa de como fazer um plano de segurança da informação, recomendamos que todos os funcionários da empresa assistam ao elucidativo TED abaixo. 

Nele, Mikko Hypponen, um famoso especialista em segurança cibernética, aborda importantes questionamentos, como: “o mundo está apto a lidar com o próximo vírus?”. 

4. Não se esqueça de fazer backup dos dados 

Realizar o backup dos dados com frequência deve ser uma das prerrogativas de toda empresa que deseja saber como garantir a segurança da informação de modo eficiente. Isso porque essa prática contribui para que a disponibilidade dos dados não seja muito afetada. 

O cenário atual conta com tentativas maliciosas de invasão a todo o momento. Desse modo, para proteger sua empresa dessas ameaças e, assim, evitar invasão e roubo de informações, é essencial realizar tanto o backup dos dados, como implementar bons programas de antivírus no sistema. 

5. Garanta que a empresa tenha os principais certificados

Toda empresa deve ter alguns certificados importantes, como o Certificado SSL, que nada mais é do que um documento que comprova a segurança das informações. Ter esse certificado é fundamental porque ele promove a transformação das informações dos clientes em códigos criptografados, uma medida que potencializa a segurança. 

Outra certificação relevante é o Certificado PCI. Ele apresenta um conjunto de normas de segurança que devem ser seguidas nas empresas que realizam transações online. Desse modo, trata-se de um documento que objetiva garantir a segurança dos dados das principais bandeiras de cartão de crédito. 

Como fazer um plano de segurança da informação: dica de ouro

Para complementar e fortalecer a segurança da informação, a dica de ouro é: empregue um bom sistema de reconhecimento facial em sua organização. 

Essa tecnologia realiza a verificação, a comparação das características do rosto no sistema e, assim, promove a autenticidade com um índice de acerto bastante elevado. 

Essencial para proteger os funcionários de uma companhia e os clientes, essa medida é extremamente eficaz para evitar o roubo de identidade.

Ficou interessado, mas não tem ideia de como utilizar a tecnologia de reconhecimento facial em sua companhia? Pois o Acesso Bio, da Acesso Digital, pode ajudá-lo nessa jornada de segurança! Para saber mais sobre essa incrível solução, acesse este link!

Artigos relacionados